quinta-feira, 15 de maio de 2014

É o amor que dá alegria, romantismo e sabor ao casamento.



O fundamento do matrimonio é o compromisso. Mas é o amor que lhe dá alegria, romantismo, sabor. O compromisso pode manter uma união conjugal, levando-a a superar todas as crises. Mas sem amor o casamento será frio, desinteressante, monótono. Por isso o casal deve cuidar do amor, alimentar o amor, investir no amor.
O apóstolo Paulo escreveu: "Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé ao ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres, e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará" (1 Coríntios 13.1-3). Estas palavras do apóstolo foram dirigidas aos crentes de Corinto. Elas não são específicas para marido e mulher. Mas são para eles também. Aplicadas aos cônjuges, elas podem ser parafraseadas assim: "Ainda que eu fale as palavras mais belas e mais agradáveis de ouvir, se não tiver amor pelo meu cônjuge, serei com um som harmonioso que encanta o ouvido, mas logo cessa. Ainda que eu seja praticante da melhor religião;
ainda que eu tenha grande conhecimento bíblico e muita fé, se não tiver amor pelo meu cônjuge, nada serei. Ainda que eu proporcione ao meu cônjuge todo conforto e comodidade, e ainda que a minha vida seja de constantes sacrifícios pela minha família, se não tiver amor pelo meu cônjuge, nada disso me aproveitará".